Soul surfing: uma viagem ao surf clássico dos anos 50 e 60

Em uma entrevista recente para a revista TRIP, Avelino Bastos (surfista, shaper e empresário; fundador da Tropical Brasil) mandou uma frase que bateu forte por aqui: “O surf é uma coisa contemplativa. Nada substitui você cair cedinho na água, ver o dia amanhecendo, remar uma onda… isso por si só já é o máximo. A onda é uma frequência de energia que se propaga, que você enxerga e ainda pode embarcar nela, deslizar em cima dela por conta própria.” É nisso que acreditamos. Desde os primeiros dias quando comecamos a conceber a Linoleum, olhamos para o surf do ponto de vista da busca pela paz interior, do contato com a Natureza, de algo sagrado. O surf clássico, praticado com a alma, que extrapola qualquer viés competitivo. Um instrumento para a elevação do ser. Isso nos motivou a fazer o post que você está lendo. Reunimos imagens do surf dos anos 50 e 60, quando tudo era muito diferente e atmosfera de libertação e descoberta de algo novo passava a tomar as praias do mundo inteiro. Para quem cai na água ou para quem apenas simpatiza, vai aqui nossa homenagem a esta época incrível. Esperamos que gostem.

 surf-classico-1

surf-classico-2

surf-classico-3

surf-classico-4

surf-classico-5

surf-classico-6

surf-classico-7

surf-classico-8

surf-classico-9

surf-classico-10

surf-classico-11
surf-classico-12

surf-classico-13

surf-classico-14

surf-classico-15

surf-classico-16

surf-classico-17
surf-classico-18

surf-classico-19

surf-classico-20

surf-classico-21

surf-classico-22

surf-classico-23